Fígado em forma: saiba como eliminar a gordura no órgão

Condição presente em 35% dos brasileiros com mais de 35 anos, a esteatose hepática é uma das doenças mais comuns nesta população. O distúrbio corresponde ao acúmulo de gordura no fígado, geralmente associado a quadros de obesidade, pré-diabetes e diabetes.

Fígado em forma: saiba como eliminar a gordura no órgão

O dado acima é resultado de um estudo realizado por pesquisadores da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), USP (Universidade de São Paulo) e da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul). Caso não seja tratada, a esteatose pode resultar em uma inflamação que leva a morte celular.

Gleicer Nobre, gastroenterologista do Hospital Metropolitano Vale do Aço, alerta sobre os riscos da gordura no fígado para a saúde.

“Ao longo do tempo, a condição pode evoluir para fibrose ou cirrose hepática e resultar num câncer de fígado. Em quadros mais graves, é necessário realizar o transplante do órgão”, alerta o médico especialista em doenças do aparelho digestivo.

Mudanças no estilo de vida

Por ser uma doença silenciosa, a maioria dos pacientes com esteatose hepática não apresentam sintomas e descobrem a condição a partir do exame de rotina. Por isso, é importante ficar atento à prevenção da doença.

“A prevenção e tratamento passam, principalmente, pela mudança de hábitos. Uma dieta saudável aliada a prática de exercícios físicos são essenciais para controlar o excesso de peso, a resistência à insulina, os níveis de colesterol e a pressão arterial”, explica o médico.

Para quem já tem fígado gorduroso, é essencial o acompanhamento médico e nutricionista. Nesses casos, é importante priorizar certos tipos de alimentos e atividades, como:

• Verduras, legumes, frutas e grãos integrais, que são ricos em fibras, antioxidantes e nutrientes benéficos para o fígado;

• Peixes, carnes brancas e ovos, importantes para a função hepática;

• Itens ricos em gordura “do bem”, como salmão, sardinha, azeite extravirgem, abacate e amêndoas já que têm efeito anti-inflamatório;

• Atividades aeróbicas com cerca de 30 minutos pelo menos cinco vezes por semana, e exercícios de resistência muscular, por pelo menos duas vezes por semana, que auxiliam o metabolismo e a queima de gordura.

“Nem sempre é fácil mudar hábitos, principalmente quando estamos cercados por alimentos calóricos. Por isso, quem tem ou conhece alguém que conviva com a doença, precisa procurar por suporte psicológico para enfrentar esse desafio”, orienta Gleicer Nobre.

Pix automático entra em vigor em Abril de 2024 e deve facilitar vendas a crédito

Pix automático entra em vigor em Abril de 2024 e deve facilitar vendas a crédito

Nova vacina contra a dengue chega ao Brasil na próxima semana

Nova vacina contra a dengue chega ao Brasil na próxima semana