Funcionário da Unimed é assassinado a caminho do trabalho em Teixeira de Freitas

Funcionário da Unimed é assassinado a caminho do trabalho em Teixeira de Freitas
04 fevereiro 13:09 2015 Imprimir esta notícia

A violência em Teixeira de Freitas tomou uma proporção tão grande nas útlimas semanas, que uma reunião entre as forças de seguranças deve acontecer nas próximas horas, quando será estudada uma maneira de “frear” os homicídios que se tornaram comuns, principalmente desde que começou o ano de 2015.

Na manhã desta quarta-feira (4), por volta das 7h40 a mais nova vítima dessa violência, que beira um clima de guerra, foi o jovem Andro Silva Magalhães, auxiliar de serviços gerais da UNIMED, que acabou alvejado a tiros no interior de um veículo Fiat Palio, de cor branca,  placa NYQ-3848, licenciado em Teixeira de Freitas, que era conduzido por um colega de trabalho da vítima. Andro estava no banco do carona e acabou alvejado na rua Aurelino J. de Oliveira, bairro Vila Vargas, nos fundos da CDC Acabamentos.

De acordo com as primeiras informações da polícia, no momento que os dois colegas de emprego seguiam para a sede da Unimed, que fica na avenida Getúlio Vargas, no centro da cidade, dois elementos em uma motocicleta, de cor vermelha, emparelharam no Palio e após uma rápida discussão, o criminoso que estava como carona, sacou a arma de disparou várias vezes em direção a Andro, que morreu na hora. Desesperado o motorista parou o veículo, deixou as chaves ainda na ignição e buscou proteção em uma casa próxima.

No local, bastante prejudicado para a perícia devido ao acúmulo de curiosos, os peritos Paulo Libório e Pablo Bonjardim, ambos do Departamento de Polícia Técnica de Teixeira de Freitas (DPT), recolheram cápsulas de pistola calibre 380. Após a perícia de local foi autorizada a remoção do corpo ao IML para exames de necropsia.

O crime segue sendo investigado pelo delegado Kleber Gonçalves, titular da Polícia Civil de Teixeira de Freitas. Motivação e autoria são desconhecidas. Existe uma informação que chegou à polícia de uma possível discussão de trânsito como motivação do crime, mas essa hipótese ainda não foi confirmada, até pelo fato de o rapaz morto não ser o motorista e sim o carona. (Por Ronildo Brito)

  Categorias: