“Implorei pra ele não ir”, diz pai de pilota que sumiu durante voo de Linhares para Mucuri

“Implorei pra ele não ir”, diz pai de pilota que sumiu durante voo de Linhares para Mucuri
07 dezembro 21:49 2018 Imprimir esta notícia

76 dias. Este é o tempo que Janio Garuzzi, pai do piloto Maike Estefanelli Barcellos, que desapareceu após decolar em Linhares-Es., espera por notícias do filho.

Janio disse que chegou a falar para Maike não ir. “A volta que eles fizeram era difícil, e se algo acontecesse, não teria como pousar. Cheguei a dizer que era muito perigoso, implorei, e pedi que eles não fossem.”

No dia 21 de setembro, Maike e o empresário Douglas Siqueira saíram da região Norte do Espírito Santo, com destino ao município de Mucuri. Os dois estavam a bordo de uma aeronave modelo Trike (uma asa delta motorizada), quando desapareceram.

Maike e Douglas iniciaram a viagem a partir de um ponto do bairro Laguna, em Linhares. Eles seguiam para a cidade de Mucuri para participar de um evento nacional de pilotos de aeronaves.

O pai de Maike comentou sobre especulações. “As pessoas estão falando muitas coisas. Ainda temos que ouvir que eles fugiram porque tinham um caso e que Maike tinha um monte de dívidas. Ele tem imóveis e carros. Não tinha motivo para fugir. As pessoas têm pai, mãe e não se lembram que eles também têm família, e que a gente sofre com isso”.

Paixão pelo voo

A paixão pelo voo é de família. Segundo Janio, ele e a mãe Elza Terezinha Barcellos, de 78 anos, são pilotos há anos. “Minha paixão em ser piloto começou quando fui aprovado na aeronáutica e meu pai não deixou que eu fosse. Depois disso, decidi que seria piloto de um jeito ou de outro. Domingo vou voar, é um sonho, e não vou parar”.

Em entrevista ao Jornal Folha Vitória, Janio contou que ele e Maike fizeram um último voo antes do desaparecimento e compartilhou o momento. (Da redação TN)

  Categorias: