Itabuna terá aplicação de inseticida residual para combate ao Aedes

Itabuna terá aplicação de inseticida residual para combate ao Aedes
06 março 12:13 2016 Imprimir esta notícia
A primeira cidade baiana a receber borrifadores de inseticida residual de aplicação intra-domiciliar para combater o mosquito Aedes aegypti será Itabuna, no sul do estado. O anúncio foi feito pelo secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas, na manhã deste sábado (5), durante visita ao município e a Ilhéus, na mesma região.
Na próxima semana, serão disponibilizados 92 borrifadores para a Secretaria Municipal de Saúde. O produto combate o aedes num período de 12 meses e vai ser aplicado em domicílios nas áreas com maior incidência de focos. O secretário também destacou os serviços de limpeza da calha e das bordas e a retirada de baronesas do Rio Cachoeira, que corta a cidade, reduzindo os focos do mosquito.
Acompanhado do assessor especial Mateus Simões, do superintendente dos Gestão do Sistemas de Regulação da Atenção à Saúde (Suregs), José Rodrigues, e da gerente do Núcleo Regional de Saúde/Sul, Marisa Eduane, Vilas-Boas visitou o QG da Dengue, onde são atendidos pacientes com suspeita de dengue, zika vírus e chikungunya, e o Hospital de Base de Itabuna, que abriga uma unidade de atendimento a pacientes necessitados de internação.
O QG da Dengue, implantado pela Prefeitura de Itabuna, em parceria com a Sesab, conta com 120 profissionais trabalhando em esquema de plantão todos os setes dias da semana. São nove médicos, sendo cinco durante o dia e quatro no regime de plantão noturno.

Em Ilhéus

No município de Ilhéus, o secretário visitou o Pronto Atendimento da Dengue. A unidade funciona no Centro Municipal de Atendimento Especializado (Cemae) e conta com cinco médicos, cinco enfermeiras, seis técnicos de enfermagem/coletores e um técnico de enfermagem capacitado para coleta de isolamento viral.

Os prefeitos de Itabuna, Claudevane Leite, e de Ilhéus, Jabes Ribeiro, destacaram o apoio do Governo do Estado, que, além de equipamentos e medicamentos também tem enviado técnicos aos dois municípios para auxiliar no combate ao aedes.

Villas-Boas enfatizou que as ações em Ilhéus e Itabuna buscam combater os focos do Aedes aegypti, evitando a proliferação das larvas, além de fortalecer as campanhas de conscientização. “A participação da população no combate aos focos em casa e no ambiente de trabalho é fundamental nessa guerra contra o mosquito, que é o inimigo número um do planeta”.

De acordo com informações da Sesab, em Itabuna, foram notificados, este ano, de 1º de janeiro até o dia 3 deste mês, 11.487 casos de dengue, 6.068 de zika e 1.616 de chikungunya. Em Ilhéus, no mesmo período, ocorreram 1.537 casos de dengue, 703 de zika e 1.437 de chikungunya. (Da redação TN)

  Categorias:

Comente a matéria

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.