Menores acusados de executar mineiro são apreendidos em Mucuri; corpo da vítima é localizado em Frei Inocêncio

Menores acusados de executar mineiro são apreendidos em Mucuri; corpo da vítima é localizado em Frei Inocêncio
09 fevereiro 16:41 2016 Imprimir esta notícia

Foram apreendidos pela Cipe-Mata Atlântica, durante incursões realizadas no domingo e segunda-feira, dia 7 e 8 de janeiro, em Mucuri, quatro adolescentes, que são acusados de envolvimento no sequestro seguido de homicídio do funcionário público mineiro Terence Henrique Silva, de 45 anos, que desapareceu de sua cidade, Governador Valadares, na manhã do último sábado (6), quando preparava-se para viajar à cidade baiana do Prado, onde passaria o carnaval.

A irmã do funcionário público, Kátia Rabi, 52, contou que ele desapareceu no momento em que se prepara para viajar. “Ele ia passar o Carnaval em Prado, na Bahia. O último a vê-lo foi meu enteado, que cuidaria da casa dele no período de sua viagem”, contou. Segundo Kátia, o irmão sumiu por volta das 8h. “Ele passaria na minha casa antes de viajar, mas, como demorou, a namorada dele foi à sua casa procurá-lo. Chegando lá, ela achou apenas uma mala revirada na garagem. O carro não estava

O veículo da vítima, um Ford Vision, de cor preta, placa FTP-2509, foi avistado no domingo (7), rodando em Nova Viçosa e os quatro acusados que estavam em posse do mesmo acabaram sendo apreendidos em Mucuri.

No domingo (7), policiais civis de Governador Valadares-MG., fizeram contato com agentes e delegados das cidades de Mucuri e Nova Viçosa, buscando desvendar o sumiço de Terence. Além do veículo os policiais de Minas Gerais rastrearam o cartão de crédito do servidor e comprovaram ter havido compras em nome dele na cidade de Mucuri.

Junto da mala que estava na garagem, foram encontrados um relógio e outros pertences de valor. “Se tiverem levado alguma coisa do meu irmão, foi o dinheiro, pois ele possivelmente tinha algum no bolso, e o celular. Nada de valor foi levado”, apontou Kátia, irmã de Terence.

Na tarde do domingo, dia 7, a PM foi informada que uma mala com mais pertences do servidor havia sido encontrada em uma rodovia próximo a Teófilo Otoni-MG., na região do Vale do Mucuri, distante cerca de 140 km de Valadares. “Na mala, estavam documentos pessoais e de trabalho do Terence. Tinham também contratos com a prefeitura, cartões de crédito e um óculos”, detalhou Kátia. O celular do servidor não foi encontrado. A família tentou diversas vezes contato, sem sucesso.

A irmã do desaparecido confirmou que o familiar era uma pessoa conhecida na cidade. “Ele é extrovertido e não possui qualquer problema. Eu não suspeito de ninguém”, disse. Terence Henrique Silva, de 45 anos, morava em companhia de dois filhos adolescentes, de 14 e de 17 anos.

Na manhã desta terça-feira, dia 9 de fevereiro, foi confirmado pela polícia mineira que o corpo de Terence Henrique Silva, o “Téo da SAAE”, como era mais conhecido, foi encontrado no município de Frei Inocêncio-MG., com os pulsos parcialmente cortados e sinais de estrangulamento. Os assassinos teriam usado o cinto da própria vítima para enforcá-la.

No total foram apreendidos quatro menores, sendo um de Mucuri e três oriundos de Minas Gerais. Eles estão apreendidos na Delegacia da Polícia Civil de Mucuri (DEPOL) e devem ser levados nas próximas horas para Governador Valadares, onde aconteceu o sequestro.

As polícias mineira e baiana continuam investigando o caso, pra descobrir se há mais envolvidos na execução, bem como a motivação do assassinato do funcionário público, se latrocínio, que é roubo seguido de morte ou crime de mando. A primeira hipótese é a mais provável, segundo a polícia. (Por Ronildo Brito)

  Categorias:

Comente a matéria

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.