PF recolhe documentos e HDs de computadores em Medeiros Neto; secretária de Educação e motorista dela são mandados para o Presídio

PF recolhe documentos e HDs de computadores em Medeiros Neto; secretária de Educação e motorista dela são mandados para o Presídio
09 março 11:02 2016 Imprimir esta notícia

Ocorreu na manhã desta terça-feira, dia 8 de março, em Medeiros Neto, a operação “Hera”, desencadeada pela Polícia Federal (PF) e Ministério Público Federal (MPF), para apurar denúncias de um suposto esquema criminoso montado pela administração daquele município, na obtenção de vantagens indevidas através da folha de pagamento do setor de educação. “Hera” quer dizer DEUSA PAGÃ protetora das mulheres, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. No total foram usados nove viaturas com cerca de trinta agentes.

Logo cedo, por volta das 6h, os policiais ocuparam as dependências do Centro Administrativo, da Secretaria de Educação, além das residências de Júnior Costa e Rogério Costa, filhos do prefeito Nilson Costa, da chefe do Departamento Municipal de Recursos Humanos (RH), Suzete Fortunato, da secretária de Educação, Aleny Brito Lacerda, essa que acabou presa por força de um mandado expedido pela Justiça. O motorista de Aleny, Ranieri Santos Lima, também foi preso por força de mandado de prisão. Vários documentos e HDs dos computadores foram apreendidos na operação.

De acordo com o delegado Pancho Rivas, que chefiou a ação, “a operação consiste em apurar desvios de verbas do FUNDEB, através de inclusão de vantagens indevidas nos contracheques de servidores da Prefeitura de Medeiros Neto, num total de 80, e que os valores sacados a mais, eram supostamente devolvidos à própria secretária de Educação e depois rateados com um dos filhos do prefeito Nilson Costa. É aguardada a divulgação de uma nota por parte da assessoria de comunicação da Polícia Federal (PF), com o número exato de prisões e conduções coercitivas, já que os dois filhos de Nilson Costa foram trazidos para Teixeira de Freitas, onde prestaram depoimento.

Já a secretária Aleny Brito Lacerda e o motorista dela Ranieri Santos Lima, foram ouvidos na sede da Procuradoria Federal e em seguida acabaram sendo levados presos para o Conjunto Penal de Teixeira de Freitas (CPTF).

Segundo as denúncias que por pouco não culminaram na abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), na Câmara Municipal de Medeiros Neto, em alguns contracheques, o valor da verba adicional era maior que o próprio salário do servidor. Na denúncia consta que valores eram sacados e parte do dinheiro, dias depois, retornava aos bolsos da secretária Aleny Brito e do filho de Nilson Costa, Nilson Costa Júnior, então secretário municipal de Administração.

Alguns servidores foram ouvidos pelo Ministério Público Federal (MPF), em Teixeira de Freitas e confirmaram os recebimentos a mais em seus salários e os repasses indevidos. O esquema teria desviado de R$ 150 a 200 mil reais mensais dos cofres públicos.

Mais denúncias

Além dessas irregularidades que culminaram na operação da Polícia Federal (PF) e Ministério Público Federal (MPF), existem outros casos, também envolvendo recursos federais, que também devem ser investigados em Medeiros Neto, incluindo denúncias relacionadas ao transporte escolar, reformas inexistentes em escolas e praças, além de licitações milionárias com combustíveis e carros que aparecem na relação de abastecidos, quando na realidade as placas pertences a motos e alguns deles rodando no sul do país.

O maior escândalo porém, segundo o vereador Laurentino Lacerda, opositor ao governo de Nilson Costa, estaria em uma licitação comandada por Rogério Costa, filho do prefeito, quando o mesmo era secretário de Administração em 2013. No total, garante Laurentino, foram pagos R$ 1.480.000,00 com recursos da educação para uma empresa especializada na limpeza de fossas sépticas, serviço que deveria ser feito em todas as escolas municipais. “O problema é que em Medeiros Neto só existem três escolas que possuem fossas”, denunciou. (Por Ronildo Brito)

  Categorias:

Comente a matéria

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.