Polícia Civil concluiu homicídio de “Wanderson Tatuador” e pede prisão preventiva dos acusados

Polícia Civil concluiu homicídio de “Wanderson Tatuador” e pede prisão preventiva dos acusados
12 fevereiro 11:04 2019 Imprimir esta notícia

Na noite do dia 30 de dezembro de 2016, por volta das 19h, o delegado Chalton Fraga encontrava-se de plantão na sede da 8ª Coorpin de Teixeira de Freitas, ocasião em que tomou conhecimento através da Polícia Militar sobre a ocorrência do homicídio de Wanderson de Souza Silva, o “Wanderson Tatuado”, alvejado com 12 disparos de arma de fogo.

Próximo ao corpo foram recolhidos nove estojos e três projéteis calibre 380, sendo certo que a vítima foi surpreendida e atropelada pelos executores quando conduzia sua motocicleta Honda Bros, de cor preta, placa OZS-6296, sendo utilizado pelos assassinos o veículo Ford Fiesta, também de cor preta, placas HLY-4851, o qual continha em seu interior três toucas ninja. O veículo foi abandonado pelos executores durante a ação criminosa, por apresentar problemas mecânicos.

O homicídio ocorreu por volta das 17h15 do dia 30 de dezembro de 2016, na rua Bela Vista, bairro São Lourenço, região central de Teixeira de Freitas.

O caso foi encaminhado ao Núcleo de Homicídio e Tráfico (NHT), sob o comando dos delegados Manoel Andreetta e Bruno Ferrari, que apuraram durante o curso das investigações que “Wanderson Tatuado” fora morto por Rômulo Rodrigues da Silva, o “2R” e Jackson Morais, o “Gorunday” a mando de Jackson Soares Aguilar, o “Jacó”, acusado de liderar o tráfico de drogas no bairro São Lourenço mesmo sendo interno do Conjunto Penal de Teixeira de Freitas (CPTF), que na época era parceiro do chefe do tráfico identificado por Audimar Serafim, o “Fala Fina”, (morto em confronto com a PM em 22/03/2017), ambos integrantes de um bando maior de traficantes, denominado “Grupo do Soca”, comandado pelo chefe do tráfico identificado por Jalperaz do Espírito Santo Rocha, o “Coroa” ou “Soca”, (emboscado e morto em companhia da família no município de Mucuri, em 17/01/18, quando todos deixavam a região rumo ao Espírito Santo).

“Vale frisar que a ação criminosa foi filmada por câmeras de segurança que se encontravam na vizinhança, não havendo dúvidas sobre a autoria do delito”, disse Andreeta, informando ainda que a equipe do NHT esteve no Complexo Penitenciário de Segurança Máxima de Viana-ES., local onde promoveu o interrogatório do autor Rômulo, o “2R”, custodiado naquela unidade prisional pela prática de homicídio tentado contra um policial civil capixaba, durante a prática de outra ação criminosa.

“No mesmo sentido o mandante Jackson, o “Jacó” foi ouvido no Conjunto Penal de Teixeira de Freitas (CPTF), onde cumpre pena por homicídio, o que demonstra o alto grau de periculosidade e a conduta reiterada dos autores na prática de crimes da mesma natureza”, reforçou o delegado Andreeta.

Já o outro acusado da execução, Jackson Morais, o “Gorunday”, encontra-se foragido, em local ignorado. O procedimento foi devidamente finalizado, saneado e relatado pela Equipe do NHT, com o pedido judicial de Prisão Preventiva dos autores do crime. (Da redação TN)

  Categorias: