Polícia Civil elucida assassinato de vigilante e pede prisão dos acusados à Justiça

Polícia Civil elucida assassinato de vigilante e pede prisão dos acusados à Justiça
Crime aconteceu em um bar de Teixeira de Freitas
22 fevereiro 23:12 2019 Imprimir esta notícia

Na noite do dia 23 de janeiro de 2019, por volta das 23h15, o delegado Charlton Fraga encontrava-se no plantão da 8ª Coorpin de Teixeira de Freitas, ocasião em que tomou conhecimento através do Centro Integrado de Comunicação (CICOM), sobre a ocorrência de um homicídio consumado que teve como vítima Rafael Lima Barros, crime praticado por pessoas até então não identificadas, através de disparos de arma de fogo.

Os tiros foram efetuados no momento que a vítima encontrava-se no Bar Campys, consumindo bebidas alcoólicas, quando dois homens aproximaram-se com uma motocicleta, de placa e modelo não anotados, tendo o carona chamado pelo nome da vítima, que ao aproximar-se, foi alvejada com cinco disparos de arma de fogo, chegando a correr do local, caindo já sem vida nos fundos da Autopeças Autoplan, em via pública, na rua do Cedro, bairro Castelinho, região leste de Teixeira de Freitas.

O caso foi encaminhado à equipe do Núcleo de Homicídio e Tráfico (NHT), liderado pelos delegados Manoel Andreetta e Bruno Ferrari, que no decorrer das investigações descobriram que Rafael Lima Barros estava envolvida com o tráfico de drogas no bairro Castelinho, figurando como integrante do grupo de traficantes denominado “Grupo de Lampião”, liderado pelo interno do Conjunto Penal de Teixeira de Freitas (CPTF), Luan Fergon Gonçalves Ferraz, o “Lampião”, ligado a outros acusados que liderariam a comercialização de drogas no bairro, identificados como Kaio Reis de Jesus, o “Mabaço” e Ryan Portugal da Silva, sendo certo que a vítima utilizava o seu local de trabalho, onde exercia a função de vigilante noturno, para comercializar entorpecentes.

“Visando expandir os seus “negócios ilícitos” Rafael começou a pegar drogas também com o grupo de traficantes rivais, denominado “Grupo do Peixeira”, chefiado pelo traficante interno do CPTF, Israel Amorim de Castro, o “Peixeira” ou “Alazão”, passando a revender as drogas fornecidas pelos dois grupos rivais, fato que acabou sendo descoberto pelos integrantes do “Grupo de Lampião”, quando então veio a ordem para matar a vítima Rafael, missão cumprida pelo executor do grupo identificado por Célio Conceição Furtonato, que estava de carona na motocicleta utilizada para praticar o crime. Vale frisar que os grupos de LAMPIÃO e de PEIXEIRA estão em guerra disputando os pontos de venda e distribuição de drogas no bairro Castelinho, sendo esta a razão da prática de uma série de “ataques” e “revides” que causaram e vem causando a morte de vários jovens e adolescentes na região”, disse o delegado Manoel Andreeta

Diante da gravidade da situação e devido à comoção pública que esse tipo de delito vem causando na comunidade, foi representado pela Equipe do NHT na Justiça da Comarca de Teixeira de Freitas, pela decretação da prisão preventiva dos autores do crime, visando garantir a ordem pública e a aplicação da Lei Penal. O procedimento foi devidamente finalizado, saneado e relatado ao Judiciário pelo Núcleo de Homicídio e Tráfico – NHT. (Da redação TN)

  Categorias: