Principal testemunha de chacina no ES é encontrada morta; acusados da barbarie são da Bahia

Principal testemunha de chacina no ES é encontrada morta; acusados da barbarie são da Bahia
09 dezembro 12:26 2015 Imprimir esta notícia

A principal testemunha da chacina que vitimou a família Telek no distrito de São Rafael, na zona rural de Linhares-ES., foi encontrada morta numa lagoa no interior de Governador Lindenberg, também em território capixaba, na manhã desta terça-feira (08). O corpo de Selmo Ferreira dos Santos, conhecido como Minieirinho, foi encontrado boiando por moradores da região. A informação foi confirmada pelo Chefe da Delegacia Regional de Linhares, Valter Barcelos, na manhã desta quarta-feira (09). A vítima teria sido peça fundamental para as equipes de investigação da Delegacia de Crimes Contra a Vida de Linhares desvendarem o crime ocorrido em dezembro do ano passado. Ele estava desparecido desde o último domingo (06).

O delegado revelou que Celso Mineiro vinha sofrendo ameaças de morte desde à época do crime, teria entrado em depressão e estava em tratamento. Segundo Valter Barcelos a Polícia trabalha com a hipótese de suicídio, o que será confirmado somente após a conclusão dos laudos de medicina legal, já que a vítima não possuía nenhum sinal de violência e nem marcas de tiros e objetos perfurocortantes no corpo. “Temos a informação de que ele não sabia nadar e teria morrido afogado. Inicialmente a principal hipótese é o suicídio”, destaca. A morte de Celso Mineiro é investigada pela 15ª. Delegacia Regional de Colatina.

Suspeitos presos são da Bahia

Os dois principais suspeitos de serem os autores da chacina, Ismael Vitor dos Santos Jr, de 30 anos, e Jairo Conceição dos Santos, 22, estão presos no Centro de Detenção Provisória de Aracruz-ES. Um terceiro acusado, que irmão mais velho da dupla, Maurício Ramos dos Santos, de 34 anos, conhecido como Maurição, continua foragido. Todos são naturais da Bahia e apenas Maurição possui passagem pela Justiça por roubo.

A chacina teve como vítimas Francieli Telek de Oliveira, de 21 anos, seu irmão Fábio Telek, 22, e o cunhado dele, Eleilson Souza, conhecido como Léo. Uma criança de 3 anos, Mirela Telek, filha de Francieli também foi morta por asfixia e depois teve o corpo carbonizado, segundo informações do titular da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV), delegado André Jaretta. Fábio e Léo foram os primeiros a serem mortos com pauladas e golpes de facão numa mata próxima à propriedade rural que trabalhavam. Já Francieli e a filha Mirela foram mortas por asfixia no interior da casa onde moravam. Todas as vítimas foram carbonizadas na sequência. (Informações: Site de Linhares)

  Categorias: