Procuradoria vai mover ação de R$ 100 mil de indenização contra militante do PSDB que provocou quebra-quebra na Prefeitura de Teixeira de Freitas

Procuradoria vai mover ação de R$ 100 mil de indenização contra militante do PSDB que provocou quebra-quebra na Prefeitura de Teixeira de Freitas
25 janeiro 20:54 2016 Imprimir esta notícia

No fim da tarde desta segunda-feira, dia 25 de janeiro, o Teixeira News contatou a chefia de gabinete da Prefeitura de Teixeira de Freitas, pra saber das medidas a serem adotadas frente a uma ação do comerciante e militante do PSDB, Luciano Cordeiro Bonfim, de 33 anos, que no final da manhã provocou um quebra-quebra do gabinete do chefe do executivo, tendo inclusive jogado um balde com restos de esgoto no prédio, supostamente em protesto contra um esgoto entupido em frente ao seu restaurante, no centro da cidade.

De acordo com Jussara Bahia, Chefe de Gabinete, a motivação foi claramente política, já que o comerciante sempre esteve na linha de frente dos últimos protestos ocorridos na cidade, inclusive passeatas contra o Partido dos Trabalhadores e ao ex-presidente Lula, mas que o caso será tratado pelas autoridades das forças policiais. O prefeito João Bosco (PT) está em viagem oficial para Salvador e ainda não falou sobre a invasão.

quebraddJá em relação ao campo jurídico, a Procuradoria informou que além de pedir o ressarcimento de todos os bens danificados no prédio da Prefeitura Municipal, sendo uma mesa, cadeiras, monitor e CPU de computador, telefone e estabilizador, vai impetrar com uma ação na Justiça contra o militante do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), pedindo que o mesmo seja condenado a pagar uma indenização no valor de R$ 100 mil em benefício do município de Teixeira de Freitas.

quebrad2Fiança

Após ouvir uma servidora do gabinete e o acusado, o delegado Manoel Andreeta, de plantão nesta segunda, dia 25, na sede da 8ª Coorpin, que autuou o comerciante em flagrante delito, arbitrou uma fiança de R$ 5 mil em desfavor de Luciano Cordeiro Bonfim, de 33 anos, valor que foi pago imediatamente e ele posto em liberdade, embora o comerciante continuará respondendo ao crime de danos ao patrimônio público, Artigo 163 do Código Penal Brasileiro (CPB), em livramento. (Por Ronildo Brito)

 

  Categorias: