Secretário aponta fragilidade em argumentos pela manutenção da greve em Teixeira de Freitas

Secretário aponta fragilidade em argumentos pela manutenção da greve em Teixeira de Freitas
18 março 17:21 2016 Imprimir esta notícia

O secretário de Educação, professor Ariosvaldo Alves Gomes, durante coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira, 17, demonstrou a fragilidade dos argumentos para a manutenção da paralisação dos professores no município, que está deixando sem aulas cerca de 24 mil estudantes. A manutenção da greve da Educação em Teixeira de Freitas tem como principal pauta defendida pela APLB Sindicato o fim das eleições para diretores escolares.

O secretário Ariosvaldo fragilizou a principal argumentação da categoria ao explicar que  em Teixeira de Freitas o Ministério Público, seguindo o Supremo Tribunal Federal, determinou a indicação dos novos diretores, que por ocuparem cargos de confiança não podem ser eleitos. Ao acatar a determinação, o município, considerando critérios técnicos, mudou apenas 23, dos 112 diretores e vices-diretores da rede. Dos profissionais que saíram do cargo, muitos deles acordaram isso com a Secretaria, alegando razões pessoais.

De acordo com o Secretário, nenhuma das reivindicações da pauta nacional se aplica à realidade local, que mesmo diante do atual cenário econômico, não parcelou, nem atrasou pagamentos, diferente do que aconteceu em 30% dos municípios baianos, de acordo com dados da União dos Municípios Baianos (UPB).

Ainda quanto a indicação dos diretores, o secretário salienta que o Município está e permanecerá no cumprimento da lei, reiterando que, havendo outro entendimento do que é legal, manterá seu posicionamento de cumprir as normativas.

Salários acima do Piso Nacional

Além disso, outra pauta em voga é quanto às remunerações e cumprimento do piso. Neste item, o histórico local demonstra reajuste de 32,51% nos salários da categoria nos últimos três anos. Atualmente, o menor salário pago a professor no município é de R$ 1.211, enquanto o piso nacional é de R$ 1.083.

Segundo o relato do secretário e documentos apresentados durante a coletiva, os profissionais teixeirenses já estão assegurados pelo estatuto, todavia, eles pedem alterações e, sobre isso, haverá nova discussão marcada para dia 22 de março para tratar da Lei do Estatuto e Plano de Carreira, sendo que o texto da Lei do Estatuto já está praticamente concluído e o Plano está em fase adiantada, dentro do prazo previsto pelo Plano Nacional de Educação.

O Município, de acordo com o Secretário,  mantem total disponibilidade em atender aos chamados dos profissionais da educação, postura comprovada pelos inúmeros encontros e reuniões entre as partes, sendo a última reunião realizada na tarde desta quarta-feira, 16, na Secretaria de Educação, momento em que ficou acordado novo encontro para o dia 22. (Da redação TN)

  Categorias:

Comente a matéria

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.