Suspeitos de assassinar ex-militar do Exército, pai e filho são presos em Alcobaça

Suspeitos de assassinar ex-militar do Exército, pai e filho são presos em Alcobaça
10 novembro 18:38 2015 Imprimir esta notícia

Carlito dos Santos e seu filho, Carleone Almeida dos Santos, foram presos em flagrante por volta das 18h desta última segunda-feira, dia 9 de novembro, acusados de matar o ex-paraquedista do Exército, Alex Galdêncio Calixto Sampaio, de 29 anos. Alex trabalhava atualmente como pescador e foi encontrado morto na sala de sua casa, localizada no sítio Marobá, às margens da BA-001, em território de Alcobaça.

Segundo a polícia ele foi golpeado com um machado na cabeça e nas costas e na perícia de local, a cargo dos peritos do Departamento de Polícia Técnica de Teixeira de Freitas (DPT), ficou comprovado que a vítima foi deixada nua e ainda teve as pernas quebradas. O corpo foi encontrado por um enteado do ex-militar, na manhã da segunda-feira (9).

De acordo com as investigações feitas pelo delegado Marco Antônio Neves, que está respondendo pela Polícia Civil em Alcobaça, no dia anterior ao crime, Alex teria ido até a casa da sua irmã, que é casada com Carleone, e quebrado diversos aparelhos eletroeletrônicos.

Tudo indica que Alex estava embriagado e sua mãe e irmã, temendo o pior, se deslocaram para a casa de parentes em Prado. A Polícia Militar chegou a ser acionada e o ex-paraquedista insultou os policiais que não conseguiram conduzi-lo para a delegacia. Depois de toda confusão, Alex teria retornado na casa de Carleone e quebrado outros eletrodomésticos e, no dia seguinte, foi encontrado morto.

A mãe dele conta que o filho tinha o costume de chegar em casa bêbado e dormir sem roupas. A polícia acredita que os assassinos tenham surpreendido Alex quando ele estava no sofá. No local havia bastante sangue, o que demonstra que a vítima agonizou com uma hemorragia antes da morte.

Conforme o delegado Marco Antônio, são fortes os indícios que apontam Carleone e o pai Carlito como autores do assassinato, e além de informações obtidas durante as investigações, as versões dos acusados são conflitantes. Para o delegado, eles não conseguem dizer a verdade sobre o que teria acontecido no dia do crime e entram em contradição.

Os dois acusados foram presos pela Polícia Militar na própria cidade de Alcobaça e já se encontram custodiados na sede da 8ª Coorpin de Teixeira de Freitas, onde vão permanecer à disposição das investigações e da Justiça. (Por Ronildo Brito e Tyago Ramos)

  Categorias: