Técnicos discutem uso de energia solar em órgãos do Estado

Técnicos discutem uso de energia solar em órgãos do Estado
08 março 10:05 2016 Imprimir esta notícia
Nem todo mundo sabe, mas as placas fotovoltaicas instaladas no Estádio Roberto Santos (Pituaçu), que captam energia solar, além de abastecerem 100% do consumo do equipamento esportivo, têm o excedente abatido na fatura de energia do prédio onde funcionam as secretarias estaduais do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) e da Administração (Saeb), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.
Para conhecer mais sobre a fonte de energia renovável, bem como a viabilidade e possibilidades de implantação de um sistema semelhante em outros órgãos do governo, técnicos da administração estadual participaram de uma palestra com o engenheiro elétrico Ricardo David na tarde desta segunda-feira (7), no auditório da Setre.
Na oportunidade, o palestrante observou que, a exemplo do que ocorreu com a energia eólica (gerada a partir dos ventos), o Governo do Estado tem se empenhado para atrair investimentos que estimulem também a cadeia produtiva da energia solar. “Em todos os países onde a energia solar se desenvolveu, os governos foram os grandes indutores”, afirma.
Na opinião da arquiteta Laura Matos, da Superintendência de Atendimento ao Cidadão (SAC), vinculada à Saeb, é importante que o poder público se aproprie de mecanismos que estimulem a sustentabilidade. “O Estado é o grande utilizador do uso destas tecnologias. Cabe ao Estado suprir a infraestrutura, seja de rodovia, de energia. Então, o Estado é o grande incentivador, provedor e, inclusive, financiador”.
O titular da Setre, Álvaro Gomes, explicou que o Estádio de Pituaçu foi o primeiro da América Latina a ser abastecido totalmente com energia solar. “É um sistema que gera uma economia para o Estado de R$ 120 mil por ano e pode ser reproduzido em outros órgãos estaduais”.
Mapa Solarimétrico
Com o intuito de subsidiar e estimular investimentos na área de produção de energia solar, no início do ano, o Governo do Estado, por meio das secretarias de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e de Infraestrutura (Seinfra), firmou convênio com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), via Campus Integrado de Manufatura e Tecnologia (Cimatec), para elaborar o Atlas Solarimétrico da Bahia.
Na opinião de Ricardo David, a decisão de realizar o estudo detalhado sobre o potencial baiano para produção de energia fotovoltaica vai apontar com precisão os locais onde a energia solar é mais viável. “[O Atlas] é importantíssimo, não só para o Estado em si, mas [também] para a sinalização que vai dar para a sociedade, mostrando a ela onde as variações são mais frequentes e de maior intensidade”. (Da redação TN)
  Categorias:

Comente a matéria

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.