Teixeira: Militar e jornalista Edelvânio Pinheiro lança o livro “O Dia em que Morri pela Primeira Vez”

Teixeira: Militar e jornalista Edelvânio Pinheiro lança o livro “O Dia em que Morri pela Primeira Vez”
26 fevereiro 10:32 2016 Imprimir esta notícia

O jornalista e policial militar Edelvânio Pinheiro lançou o seu primeiro livro “O Dia em que Morri pela Primeira Vez” que já está nas livrarias e no site da Editora PerSe, São Paulo. O Livro traz o prefácio escrito por sua filha mais nova Amy Brian Costa e Silva e a obra foi constituída pelo o autor durante os 64 dias que ficou encarcerado numa cela do 13º BEIC (Batalhão de Ensino Instrução e Capacitação da Polícia Militar de Teixeira de Freitas).

Edelvânio foi acusado na cidade de Medeiros Neto de violência sexual contra duas menores de 12 e 14 anos e foi preso preventivamente durante um inquérito regular, mas em 16 de dezembro de 2015, acabou sendo colocado em liberdade pela justiça e com parecer favorável do Ministério Púbico Estadual por preencher os requisitos de aguardar a instrução do processo em liberdade.

E, além disso, a sua soltura se deu, porque, durante as apurações as autoridades não conseguiram apurar a veracidade e nem comprovar os fatos descritos nas denúncias por falta de materialidade, evidências delitivas e houve a criação de dúvidas no decorrer das apurações, inclusive com muita gente tentando infiltrar no processo com informações falsas, demonstrando interesse explícito na sua prisão, o que motivou a justiça em soltá-lo imediatamente.

No seu livro escrito na angústia e desgosto do cárcere, o autor narra os 64 dias em que teve sua liberdade retirada, ao mesmo tempo, a obra é testemunha do reencontro do autor com a paz de espírito, com o perdão e, especialmente com Deus.

edeldNas 96 páginas do livro, Edelvânio Pinheiro descreve a angustia que viveu, e relembra quem esteve ao seu lado. Na obra, o autor fala de amizade, maldade, verdade e fé. Ele conta minuciosamente sobre o crime de estupro em que foi acusado, cujo laudo médico negou o ato e constatou que a menina mais jovem era virgem.

O autor desta obra Edelvânio Silva Pinheiro Gonçalves, tem 44 anos, ingressou na Polícia Militar em 2005 e desde 1995 é habilitado como jornalista e é um dos mais premiados da sua geração. Em 2001, também se habilitou como radialista profissional e é também licenciado em Letras pela UNEB. Foi professor na rede municipal de ensino por cerca de 20 anos.

E pela terceira vez pertence à diretoria do SINJORBA – Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia, na qual instituição atualmente é vice-presidente da regional extremo sul. Já atuou como apresentador de programas jornalísticos em emissoras de rádio de Itanhém e Itamaraju. É o fundador do Jornal Impacto, periódico impresso de Itanhém e do Portal de Noticias Radar58, de Medeiros Neto, além do sistema de sonorização de rua da cidade de Itanhém. (Por Athylla Borborema).

  Categorias: