Teixeira: UNEB realizará aula pública para discutir as políticas dos povos indígenas Pataxó de Cumuruxatiba

Teixeira: UNEB realizará aula pública para discutir as políticas dos povos indígenas Pataxó de Cumuruxatiba
02 março 11:26 2016 Imprimir esta notícia

O Campus-X da UNEB – Universidade Estadual da Bahia, em Teixeira de Freitas, realizará nesta sexta-feira (04/03), uma aula pública que traz o tema “Resistência dos povos indígenas e direito à terra” para discutir a situação instável que vivem as 732 pessoas declaradas índias que residem nas aldeias Cahy e Pequi, na região do balneário de Cumuruxatiba, litoral norte do município de Prado.

A discussão é em torno da instabilidade que as famílias indígenas vivem atualmente que a FUNAI publicou o Relatório de Identificação da Terra Indígena Comexatibá, em 27 de julho de 2015, tendo ganhado contornos ainda mais brutais nos atos de reintegração executados no dia 19 de janeiro deste ano de forma a desrespeitar a história e vida destes povos.

A aula começará a partir das 14h, com abertura e apresentação dos expositores. Em seguida haverá a palestra da professora mestre Tamires Pereira, egressa do colegiado de História do Campus-X da UNEB, de forma a contextualizar a presença dos Pataxó no território do extremo sul da Bahia. Ainda haverá falas de lideranças indígenas a respeito de suas experiências de luta e resistência no território das aldeias Cahy e Pequi em Cumuruxatiba. Após este momento será aberto o debate, mediado pela professora doutora Geovanda Batista.

O público alvo desta aula pública será os professores e alunos de todos os níveis escolares e integrantes de instituições sociais. Conforme a professora mestre Liliane Maria Fernandes Cordeiro Gomes, o objetivo do evento é possibilitar à comunidade teixeirense o acesso as informações, a partir de vozes representadas pela academia e vozes legitimadas pelos povos Pataxó, acerca da situação vivida atualmente por eles. E salienta-se que tal aula será gravada de forma a compor o acervo do laboratório de História DEDC/X de modo a constituir-se fonte de pesquisa futura para a comunidade.

De acordo com a professora mestre Uerisleda Moreira, justifica-se a realização desta atividade, organizada pelo Colegiado de História com o apoio do DEDC/X, em razão da urgência de discutir uma temática que impacta a região do extremo sul baiano, a partir de povos historicamente explorados e que resistem e lutam, diuturnamente, para viverem em territórios de identidade que dizem de si e de seus antepassados. No evento ainda haverá uma exposição de fotografias dos povos Pataxó que dizem de seu cotidiano e de suas lutas. (Da redação TN)

  Categorias:

Comente a matéria

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.