Vereador de Itamaraju é acusado de injúria racial contra uma humorista negra de Salvador

Comentário discriminatório feito do WhatsApp do Vereador SOM numa rede social contra uma influenciadora digital atribui-lhe a acusação de crimes de racismo e injúria racial – O parlamentar se defende dizendo que havia perdido o celular.

Vereador de Itamaraju é acusado de injúria racial contra uma humorista negra de Salvador

Por Athylla Borborema

Um comentário feito do WhatsApp do vereador de 2º mandato por Itamaraju, Edson Dias Souza, o “Som de Nova Alegria” ou “Som do PT” como é popularmente conhecido, está levando o parlamentar a acusação de crimes de racismo e injúria racial ao postar um texto discriminatório em um Grupo de WhatsApp abaixo de um Vídeo da humorista e influenciadora digital Raquel da Bahia.

A humorista e influenciadora digital Raquel Moser, a “Raquel da Bahia”, com mais de 500 mil de seguidores em suas contas sociais na internet, tendo o TikTok como sua principal conta digital, vem ganhando espaço nas redes sociais ao se mostrar uma cidadã negra que se nega a seguir pautas idealizadas pelo governo do PT na Bahia e no Brasil. Apoiadora do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), Raquel se queixa da falácia, segundo ela, de que Lula é “pai dos pretos e dos pobres”.

A influenciadora postou em 26 de junho de 2023, o vídeo, intitulado “OH NINHO, A BAHIA JÁ VIROU VENEZUELA KKK OH QUE MÍSERA”, mas o conteúdo só viralizou agora e já tem 1,8 milhão de visualizações, onde ela censura as ações dos governos petistas na Bahia e no Brasil e, alfineta diretamente as políticas sociais do presidente Lula

O vídeo ao ser compartilhado em um grupo de WhatsApp na cidade de Itamaraju, o vereador Edson Dias Souza, o “Som de Nova Alegria”, de 42 anos, não teria gostado do conteúdo e ao tentar proteger seu partido e o governo que defende, teria escrito às 18h48 do último domingo (05/11), o seguinte comentário discriminatório contra a influenciadora: “Essa eu boza chorona kkkkk – Pior além de chorona pobre Negra otária – Fazendo humor no tic Tok”.

O comentário do parlamentar repercutiu nas últimas horas, pois estão entendendo que o seu comentário foi infeliz e claramente discriminatório e, estão lhe acusando de racismo e principalmente de crime de “injúria racial”. Enquanto o racismo é entendido como um crime contra a coletividade, a injúria é direcionada ao indivíduo, como define a Lei 14.532, de 11 de janeiro de 2023, em seu Artigo 2º, com pena prevista de dois a cinco anos de reclusão.

Vereador de Itamaraju é acusado de injúria racial contra uma humorista negra de Salvador

O Teixeira News tentou por inúmeras vezes entre ontem e hoje (07 e 08/11) falar com o vereador Som, pelo número do seu celular tradicional, fornecido pela Câmara Municipal e pelos seus colegas vereadores, mas hora está desligado, hora chama e não atende.

Versão do Vereador SOM

Depois das nossas tentativas de falar com o parlamentar, as 10h30 desta quarta-feira (08/11), o vereador SOM nos retornou e disse que jamais faria tal comentário neste sentido, primeiro por ser filho de uma família quase toda negra e segundo por causa do seu perfil de decência. Nos explicou que no feriado do dia 2 de novembro, estava em um estabelecimento comercial no distrito em que mora “Nova Alegria”, quando seu celular sumiu, em um recinto em que tinha 10 pessoas. E somente ontem à tarde uma senhora moradora do povoamento lhe telefonou para perguntar se ele havia realmente perdido o celular, como estavam comentando e, ele respondeu que sim. Lhe informou que seu esposo havia achado na rua um ‘aparelho de celular’ e que ele fosse na casa dela para verificar se poderia ser o dele. E chegando na residência da senhora, certificou que era realmente o seu aparelho.

Disse também que logo após o sumiço do aparelho tentou registrar uma queixa policial online, mas a conexão do sistema estava ruim e não conseguiu promover o registro. Somente ontem (07/11), ele viajou do interior do município onde mora em direção à cidade de Itamaraju, há 70 Km de distância, para participar da sessão plenária da Câmara Municipal, mas a sessão não aconteceu por falta de quórum – mas, que permaneceu na cidade, para somente hoje cedo, às 09h30 (08/11), conseguisse registrar uma ocorrência policial de forma presencial na Polícia Civil de Itamaraju, sob o nº 00696106/2023. E mais uma vez, nega que no período que o comentário partiu contra a humorista, ele estivesse em posse do seu telefone.

“Sou um vereador de 2 mandatos, sou uma pessoa simples, respeitoso ao extremo com as pessoas e minha família é quase toda da raça negra. Nunca faria tal comentário absurdo contra uma pessoa qualquer, independente dos seus ideais políticos. Jamais ofenderia uma pessoa na sua intimidade pessoal, por causa de paixão política, especialmente uma mulher. Não estou dizendo que a pessoa que me entregou o aparelho, fez uso do meu celular na intenção de me prejudicar, até porque ela me disse que foi o esposo dela que achou na rua, mas a única coisa que tenho certeza, é que meu aparelho não estava na minha posse entre a tarde do feriado do dia 2 e a manhã do dia 7 de novembro. O registro policial Eu precisava fazer, pois sou o 1º secretário da mesa diretora da Câmara Municipal e todos acessos das contas do órgão estão no meu celular, então, precisava me proteger”, esclareceu o vereador Som.

Incêndio de grandes proporções atinge fábrica da Cacau Show em Linhares (ES)

Incêndio de grandes proporções atinge fábrica da Cacau Show em Linhares (ES)

Escritores e estudantes protagonizam projetos artísticos na 1ª Festa Literária de Teixeira de Freitas

Escritores e estudantes protagonizam projetos artísticos na 1ª Festa Literária de Teixeira de Freitas