Livro “1500” de Athylla Borborema lançado na 26ª Bienal de São Paulo resgata a história do nascimento do Brasil

Livro “1500” de Athylla Borborema lançado na 26ª Bienal de São Paulo resgata a história do nascimento do Brasil

O tão aguardado livro histórico que chega as mãos dos brasileiros como certidão de nascimento do Brasil, intitulado “1500 – O Brasil a partir da Foz do Rio Cahy” de autoria do jornalista baiano Athylla Borborema, foi lançado na 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, evento terminou neste último domingo (10/07), após 9 dias de programação literária, que este ano superou toda e qualquer expectativa de público. A Câmara Brasileira do Livro esperava 600 mil pessoas, público comparado aos 638 mil da Bienal de 2018, mas ainda na sexta-feira (08), a organização do evento suspendeu a venda de ingressos, na internet e nas bilheterias, porque chegou-se a 1,2 milhão de ingressos vendidos.

Livro “1500” de Athylla Borborema lançado na 26ª Bienal de São Paulo resgata a história do nascimento do Brasil

Este ano a Bienal do Livro ocorreu no Expo Center Norte, na Vila Guilherme, na zona norte da capital paulista. No total, foram 65 mil m² de área total e 11 mil m² ocupados comercialmente. Na comparação com a Bienal de 2018, houve um aumento de 6% de área comercial ocupada. Com 100% dos espaços preenchidos e com 182 expositores, com mais de 3,5 milhões de títulos. Foram 48 escritores estrangeiros e 306 escritores brasileiros que lançaram livros novos, dentre eles 68% mulheres.

O conceito criativo que destacou o poder transformador do livro, trouxe este ano para a Bienal o slogan “Todo mundo sai melhor do que entrou”. “O mundo mudou nos últimos anos em vários aspectos e nós também mudamos, buscando melhorar ainda mais o nosso evento. A 26ª Bienal Internacional do Livro proporcionou aos visitantes um maior contato com autores, em encontros e palestras exclusivas”, ressaltou Vitor Tavares, presidente da CBL – Câmara Brasileira do Livro.

Livro “1500” de Athylla Borborema lançado na 26ª Bienal de São Paulo resgata a história do nascimento do Brasil

Como convidado de honra em 2022, Portugal preparou uma participação muito especial para o evento com um estande de 500m², que incluiu um auditório, uma livraria, um espaço infantojuvenil e uma zona multiusos, onde foram apresentadas exposições com conteúdos diversificados do seu país, além de ter trago ao Brasil uma comitiva portuguesa com 23 autores, inclusive Fernando Pessoa que veio em forma de estátua de bronze para encantar o cenário das pessoas numa bela fotografia ao lado do bondinho, símbolo singular de Portugal. Além disso, o país exibiu uma exposição cronológica da trajetória do escritor português José Saramago, que morreu aos 87 anos em 18 de junho de 2010, em celebração ao centenário de nascimento do escritor.

Dentre os grandes lançamentos da 26ª Bienal de São Paulo, esteve o livro histórico “1500 – O Brasil a partir da Foz do Rio Cahy” do jornalista baiano Athylla Borborema, que surgiu sem economia de registros e interpretações, nos trazendo revelações inéditas sobre a estimulante história que levou os portugueses a se aventurarem pelo mar, nas terras tropicais da Bahia em busca de um Porto Seguro. O livro ganhou uma capa ilustrativa com uma imagem real da Foz do Rio Cahy, cenário ainda intocável, ilustrada por silhuetas demonstrando o primeiro encontro dos portugueses com os indígenas brasileiros, desenvolvida pelo design gráfico baiano Luiz Fernando dos Santos Souza.

Livro “1500” de Athylla Borborema lançado na 26ª Bienal de São Paulo resgata a história do nascimento do Brasil

A obra fez parte das homenagens aos 100 anos da 1ª Semana de Arte Moderna de São Paulo e aos 200 anos da Independência do Brasil. O livro é um lançamento da Editora Lura de São Paulo. “Nós da Lura Editorial nos sentimos muito felizes em ter em nossos quadros um escritor da capacidade do Athylla Borborema, que inclusive, teve uma maratona de atividades durante a Bienal, em virtude do lançamento do seu livro “1500”, obra que resgata a história do nosso país”, destaca o presidente da Editora Lura, Roger Conovalov.

Livro “1500” de Athylla Borborema lançado na 26ª Bienal de São Paulo resgata a história do nascimento do Brasil

O valor histórico e literário da Carta de Pero Vaz de Caminha sobre nossas origens é o topo do tema do livro de Athylla Borborema. O livro do jornalista baiano é a carta comentada de Caminha como certidão de nascimento do Brasil, narrado sem economia de informações, datas, locais, medidas geográficas, ações cronológicas, registros e interpretações numa instigante e decisiva história.

O livro levou 22 anos para ficar pronto, tem 280 páginas e pela paixão do autor desde criança pela história do nascimento do Brasil e pelo trabalho pericial em que tratou o assunto, você fará uma viagem de mais de quinhentos anos ao passado e retornará exatamente ao grande momento histórico em que Pedro Álvares Cabral aportou ao Brasil com sua frota naquela tarde de quarta-feira do dia 22 de abril de 1500.

Livro “1500” de Athylla Borborema lançado na 26ª Bienal de São Paulo resgata a história do nascimento do Brasil

Para o escritor e jornalista Athylla Borborema, a 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo foi um grande momento da literatura no Brasil. Além da larga oferta de livros e um público recorde nunca antes visto num evento literário, a 26ª Bienal ofereceu uma intensa programação multicultural, desenvolvida para despertar o gosto pela leitura. Para ele, a leitura tem a capacidade de transformar as pessoas, seja pelo conhecimento adquirido ou pela emoção que transmite.

“Nenhum leitor é a mesma pessoa quando acaba de ler um bom livro. A Bienal do Livro é um evento multicultural, pois une, além de literatura, conhecimento, entretenimento, inovação, traz temas atuais que despertam a atenção de todos os públicos e gostos, pois, a programação deste ano foi capaz de atingir das crianças aos adultos e com temas contemporâneos e que abarcaram a diversidade em todos os aspectos. Sem dúvida alguma, a 26ª Bienal foi um grande ponto de encontro da cultura e do lazer”, festejou Athylla Borborema.

Livro “1500” de Athylla Borborema lançado na 26ª Bienal de São Paulo resgata a história do nascimento do Brasil

O livro “1500 – O Brasil a partir da Foz do Rio Cahy” de Athylla Borborema, resgata a história do descobrimento do Brasil com fascínio, aventura e pesquisa. Num texto cronológico e comovente, repleto de casos pitorescos, o jornalista Athylla Borborema apresenta a história sob um novo ângulo e faz o leitor enxergar as etapas daquela aventura lusa, até a chegada dos portugueses à Foz do Rio Cahy, passando pelas missões promovidas por eles em Porto Seguro e em Coroa Vermelha.

Por muito tempo, nossa História foi contada sob a economia de nomes, datas, alcances e locais e, esta obra, que pretende ser relevante para os brasileiros no resgate da historiografia do país, celebra o grande valor histórico da região litorânea do extremo sul da Bahia, onde se deu o primeiro contato da tripulação de Pedro Álvares Cabral com os indígenas brasileiros ao cair da tarde daquela quarta-feira do dia 22 de abril de 1500.

Livro “1500” de Athylla Borborema lançado na 26ª Bienal de São Paulo resgata a história do nascimento do Brasil

A literatura de Athylla Borborema

Athylla Borborema é um jornalista, radialista, publicitário, roteirista, documentarista, youtuber brasileiro, mestre e doutor em jornalismo científico que em 1993, publicou o seu primeiro livro. Desde então ocupa a lista das obras mais recomendadas da literatura nacional com mais de 30 livros publicados, todos campeões de vendas e premiados no mundo inteiro. Agora apresenta “1500 – O Brasil a partir da Foz do Rio Cahy” – uma obra inspirada na carta de Pero Vaz de Caminha, comentada e rica de revelações inéditas sobre o nascimento do Brasil como nação. Durante a 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que ocorreu de 02 a 10 de julho de 2022, outras obras de Athylla Borborema foram expostas, a exemplo do romance “A menina do céu cor-de-rosa” e a biografia “Frans Krajcberg – O poeta da árvore”.

Suspeito de tráfico de drogas é preso com porções de entorpecentes e máquina de cartão

Suspeito de tráfico de drogas é preso com porções de entorpecentes e máquina de cartão

Identificadas as quatro vítimas de grave acidente automobilístico em Mucuri

Identificadas as quatro vítimas de grave acidente automobilístico em Mucuri